É uma condição, cuja característica principal é o surgimento de placas elevadas e avermelhadas na pele, acompanhadas de muita coceira. Entre os fatores desencadeantes mais envolvidos estão os medicamentos, alimentos, substâncias inaladas (perfumes, poeira, inseticidas, desodorantes), infecções e agentes físicos (frio, calor ou pressão). Pode ocorrer em qualquer idade.

A urticária pode ser aguda, quando as lesões desaparecem após alguns dias, ou crônica, quando persistem por várias semanas.
Na urticária aguda, geralmente o quadro é mais intenso. As lesões variam desde pequenos pontos avermelhados a placas maiores, avermelhadas e edemaciadas (inchadas), que podem se juntar atingindo grandes áreas. As lesões tendem a ter duração curta, desaparecendo e surgindo novamente em outros locais. Toda a superfície da pele pode ser atingida e o prurido (coceira) geralmente é muito forte.

Existe um tipo de urticária que se manifesta de forma muito intensa, o edema de Quincke, cuja principal característica é o inchaço. Manifesta-se frequentemente na face, com grande edema (inchaço) de lábios e pálpebras.

Na urticária crônica, o quadro é menos intenso, mas de longa duração. As lesões tendem a ser menores e podem existir continuamente ou desaparecer por um período para reaparecer posteriormente.

Formas específicas de urticária que vale a pena citar são:

  • Dermografismo, quando forma-se uma placa de urticária linear após friccionar-se a pele.
  • Urticária por pressão, que forma lesões em áreas da pele que sofrem pressão contínua (por exemplo: área do sutiã ou do elástico da calça).
  • Urticária por frio, quando surgem lesões após exposição ao frio (banhos de mar ou piscina com água gelada).

O tratamento da urticária visa inicialmente combater os sintomas provocados pela ação da histamina, e portanto, os anti-histamínicos são os medicamentos indicados. Produtos de uso local, como loções calmantes com mentol e cânfora, ajudam a aliviar a coceira.

No caso do edema de Quincke, a medicação deve ser iniciada com urgência e pode ser necessário o uso de corticosteróides de ação rápida, além dos anti-histamínicos, para evitar o edema da laringe.

No caso das urticárias crônicas, além da medicação sintomática, é importante descobrir o que está causando a urticária. Entretanto, muitas vezes, a causa permanece desconhecida. Vale ressaltar que até fenômenos emocionais podem desencadear ou prolongar a doença.