O intertrigo é uma alteração da pele que ocorre em áreas de dobras cutâneas, como axilas, virilhas e espaços entre os dedos, principalmente dos pés.

As áreas de dobras, por estarem quase sempre cobertas por roupas, são mais úmidas, escuras e quentes, facilitando o desenvolvimento de fungos e bactérias nestes locais.

Alguns fatores podem favorecer o surgimento do intertrigo, como obesidade, diabetes, uso de roupas de tecido sintético e a sudorese excessiva. Nos pés, o uso de calçados fechados durante a maior parte do dia, principalmente os que aproximam os dedos, e de meias de tecido sintético, são os principais fatores desencadeantes do seu surgimento. Quando se localiza nos espaços entre os dedos dos pés, o intertrigo é popularmente conhecido como “frieira”.

Inicialmente,o intertrigo surge como de mancha avermelhada, úmida ou descamativa, geralmente acompanhada de coceira ou ardência. A pele torna-se esbranquiçada, amolecida e podem surgir fissuras (cortes), bastante dolorosas. Estas fissuras, facilitam o surgimento de uma complicação importante da doença, a erisipela, sendo muito frequente o achado de intertrigo em pacientes que apresentam a doença.

Quando causado pelo fungo Candida albicans, forma-se uma área avermelhada e úmida que se expande formando pontilhado “satélite” ao redor da área mais afetada da pele. O quadro é, geralmente, acompanhado de muita coceira e as localizações mais frequentemente afetadas são a virilha e a região inframamária.

Para evitar o intertrigo, deve-se combater a obesidade, corrigir as alterações do diabetes e o excesso de suor. Preferir roupas folgadas e de algodão e evitar as roupas de tecidos sintéticos, principalmente nylon e poliester. Evitar permanecer com roupas molhadas por muito tempo.

Os calçados devem ser folgados, evitando-se os de bico fino, que comprimem os dedos, e as meias devem ser de algodão. Usar sapatos fechados o menor tempo possível. Sempre secar bem os pés após o banho. Pessoas que têm os dedos dos pés muito juntos, podem usar chumaços de algodão entre eles, enquanto estiverem calçados, para afastá-los e absorver a umidade.

O tratamento consiste em seguir as medidas acima, pois é fundamental acabar com os fatores predisponentes e manter a pele seca. Talcos antissépticos podem ser indicados, pois além de combater o crescimento de fungos e bactérias, ajudam a ressecar o local. De acordo com as infecções secundárias presentes, o uso de medicações anti-fúngicas e anti-bacterianas está indicado.